sexta-feira, 20 de abril de 2018

EXTRA, EXTRA, EXTRA - Governo do Estado reduz orelhas de abano em Timbiras

A fisioterapeuta Carla Vanessa Ferreira 


    “Hoje, tenho prazer em mostrar minhas orelhas”. O relato é da jovem de 23 anos que passou toda a vida recebendo apelidos sobre sua aparência, mais especificamente sobre suas orelhas. A fisioterapeuta Carla Vanessa Ferreira foi uma das 21 pacientes que realizou cirurgias de correção de orelhas proeminentes no Hospital Regional de Timbiras. 

    O procedimento, chamado de otoplastia, tem mudado a vidas dos pacientes. “Desde a infância, tenho um trauma porque todo mundo me apelidava, a famosa orelha de abano. Minha família também. Quando fiquei adolescente, sempre andava com as orelhas escondidas. Tinha cabelo longo, e sempre dava um jeito de esconder. Hoje uso ele solto, amarro em rabo de cavalo. Estou maravilhada. Minha autoestima está lá em cima”, disse Carla Vanessa Ferreira, que passou pela cirurgia há cerca de um mês.

    O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, destacou que a proposta é expandir cada vez mais os serviços de saúde para os cidadãos. “Estamos avançando por todo o estado com iniciativas que beneficiem os usuários dos serviços públicos de saúde. É o que a gestão do governador Flávio Dino tem provado, especialmente com o atendimento de qualidade efetuado nos hospitais regionais, assim como em toda rede estadual de saúde no Maranhão”. 

    Para o diretor administrativo do Hospital Regional de Timbiras, Sansão Pinheiro, a unidade tem expandido a assistência à população com especialidades e procedimentos inéditos para a região. Em fevereiro, por exemplo, a pielolitotomia ou retirada de cálculo do rim entrou na lista de cirurgias realizadas no local.

“Nossa premissa é trabalhar para melhorar a saúde dos moradores da região. Antigamente, enviávamos pacientes para São Luís. Hoje, recebemos pessoas da capital que estão em filas de espera. Não só de lá, do Pará, de São Paulo e Brasília também. É notória a elevação da autoestima de quem passou pela cirurgia. A sensação que eles relatam é de liberdade, de poder se mostrar. A equipe fica muito feliz em poder proporcionar isso. Nossa maior vitória é poder ver o sorriso no rosto dessas pessoas”, disse Sansão Pinheiro.

A maioria dos pacientes é jovem, que vêm de histórico de bullying na escola. A cirurgia no Hospital Regional de Timbiras é feita pelo cirurgião plástico Antônio Moreira Júnior, gratuitamente, pelo Sistema Único de Saúde (SUS).


Da assessoria da SES

MANCHETES DO DIA

 -  Flávio Dino escolhe brandão e Eliziane e partidos se reunirão para "bater o martelo"


Presos ex-prefeito e mais cinco por improbidade 


800 multas por uso de celular ao volante este ano


Para diminuir o prejuízo


 Os preços que não dão alívio ao consumidor


 Nova lei garante aulas na escola de medicina do DF


 Sindicatos obtém na justiça o direito de cobrar imposto
 Díaz-Canel assume em Cuba sob a sombra de Raúl Castro

Plano de saúde sobe 4 vezes a inflação

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Sobre 'Camapu' - Ave Caesar, morituri te salutant


 
Célia Maria no show "Camapu" , de César Teixeira
No show de lançamento do seu segundo trabalho solo gravado, o CD Camapu (Produção independente), o compositor maranhense César Teixeira professou valores sublimes. Exaltou a dignidade, a coletividade a que estamos destinados, a provisoriedade da existência humana, e, sobretudo, o amor, essa palavra de luxo nos dias contemporâneos.

Estranho ao palco formal, CT suprimiu o “boa noite” tradicional após a música de abertura no Teatro Arthur Azevedo. Logo revelou sua predileção pela informalidade dos botequins e zonas condenáveis, associadas à sordidez pelos corações que marcam passo. “Esse teatro foi feito com suor e sangue dos negros. Esse teatro é do povo”, resumiu o poeta criado na manjedoura da Madre Deus.

Fluiu então para o repertório combinado, o tal set list. Antes, foi até a coxia pegar um inseparável copo-companheiro.  Ao longo do show, os goles em público foram imperceptíveis. César chegou a dar um pito em um cabo-de-guerra que vociferava um texto desmiolado. Óbvio que com a elegância que só a arte e os ossos cobertos pela carne exatamente traduzem.

A dignidade sublinhada pelo artista em um intervalo do repertório foi expressa precisamente na postura da produção em relação ao mecenato. Realizado por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, o patrocínio foi mencionado sutilmente em gravação na abertura do show. Ficou nisso. Nada de logos exageradamente servis no cenário ou agradecimentos de mesuras ruborizantes.

Descontraído ao ponto de quebrar o protocolo do roteiro traçado pelo produtor Josias Sobrinho, César Teixeira em hora e meia catou as composições feitas há décadas, guardadas no baú e que somente agora registra em estúdio. Músicas feitas no violão Gianini, muitas egressas da mesa dos bares, cantadas aos goles nos bancos da praça da Saudade, nos tempos de juventude rebelde com causa. Canções como 'Boi da Lua' (feita para os meninos abandonados pela cidadania), 'Bandeira de Aço' e outras tantas.

Para compensar o fiapo de voz, a poesia que emana da música de César Teixeira dá de dez e ainda sobra espaço para músicos e maestros como Rui Mário (sanfona e direção musical do disco e show) demostrarem seus talentos. O mesmo para intérpretes, como os convidados da noite: Lena Machado, Flávio Bittencourt, Rosa Reis, Criolina, Mairla Oliveira e Grupo Lamparina; e Célia Maria, diva das estações de rádio que ainda pulsa.  E mais a participação do mímico Gilson César, distribuindo camapu, a fruta, à platéia. Todos, pura emoção à flor da pele como Flávio Bittencourt cantando 'Dolores' e César cantando 'Luar do Mangue', acompanhado pelo celo de Jorlielson Lima.

Simples como o ar, a música de César segue para a eternidade, flamejante, sem puir, quase etérea como as coisas engendrada pelo coração. Para ser ouvida nas ilhas do Maranhão e se espalhar pro mundo inteiro. Ave Caesar, morituri te salutant (Salve Cesar, os que vão morrer te saúdam)

Brasil - 19 de abril

Descendente dos gamelas em São José dos Índios (São José de Ribamar- Maranhão) 

MANCHETES DO DIA

 -  Ministro do STJ nega trancamento de inquérito pedido pelo secretário Lula





Carlos Lula com novo pedido de habeas corpus


Mais rigor a quem ferir ou matar após beber e dirigir


 Pena maior para motorista que dirigir alcoolizado e matar


 Soltos, bispo e padres não podem sair de Formosa


 Petrobrás quer ficar fora da nova lei de licitações
 Pedro Parente aceita assumir lugar de Abílio Diniz na BRF

Rio não cumpre metas fiscais prometidas à União