domingo, 19 de agosto de 2012

Festival Varilux de Cinema Francês 2012 - Programação em São Luís deste domingo,19

CINESySTEM RIO ANIL (Shopping Rio Anil - Av. S. Luís Rei de França, Cohab)

SESSÃO: 13h30
Titeuf
(Titeuf)

Direção: Philippe Chappuis. Produção: 2011 – Animação – 1h27
Com: Donald Reignoux, Jean Rochefort, Maria Pacôme.
Sinopse: É uma catástrofe! Nadia festeja seu aniversário e Titeuf não foi convidado! Por quê? Como ela pôde esquecê-lo se ele apura tanto sua atitude sedutora toda vez que a encontra? Mas uma tragédia ainda maior vai fazer a vida de Titeuf mudar e torná-la um caos, porque os adultos são definitivamente, mais uma vez, inúteis... Titeuf, como sempre, vai tentar entender o que está acontecendo com ele e multiplicar estratagemas desastrosos para consertar a sua vida... sem perder de vista o seu objetivo: ser convidado ao aniversário da Nadia!
CURIOSIDADES
Engraçado e comovente, alternando piadas infantis, o cômico de situação e o humor mais sutil, Zep consegue dar um golpe de mestre. Alain Spira, Paris-Match

SESSÃO:15h10
Paris-Manhanttan
(Paris-Manhanttan)
Direção: Sophie Lellouche.  Produção: 2012 - Comédia - 1h17
Com: Alice Taglioni, Patrick Bruel, Woody Allen.
Sinopse: Alice é jovem, bonita e entusiasmada com seu trabalho de farmacêutica. Único problema, ainda é solteira. Preferindo se refugiar em sua paixão por Woody Allen, ela resiste com dificuldade à pressão da família, que só pensa em casá-la. Contudo, seu encontro com Victor pode mudar as coisas.


SESSÃO: 17h10
Aqui embaixo
(Ici bas)
Direção: Jean-Pierre Denis. Produção:  2012 - Drama histórico – 1h40
Com: Céline Sallette, Eric Caravaca, François Lorique.
Sinopse: No fim de 1943 durante a ocupação, Irmã Luce, religiosa de devoção e dedicação exemplares, é enfermeira no hospital de Périgueux. O encontro com um capelão, Martial, resistente cuja fé é profundamente abalada, perturba sua existência. Do amor do Cristo ao de um homem, Irmã Luce vive uma paixão pela qual termina abandonando o convento e suas irmãs. Mas ela logo se choca ao muro da realidade e de suas paixões. Traída, Irmã Luce se sente abandonada pelos homens e por Deus...
CURIOSIDADES
O diretor Jean-Pierre Denis é um dos convidados especiais para o festival desse ano.
C­éline Sallette conduz seu personagem de forma admirável, entre graça e desgraça. E Jean-Pierre Denis põe, com humildade, toda sua sensibilidade de cineasta a serviço dessa composição. Frédéric Strauss - Télérama
Jean-Pierre Denis, toma partido da sobriedade e da interioridade, saindo-se dignamente. (...) com seus incríveis intérpretes, ele desce à verdade mais profunda e ao mistério desses personagens (...). Jacques Mandelbaum – Le Monde

SESSÃO: 19h10
My way, o mito além da música
(Cloclo)
Direção: Florent-Emilio Siri. produção
Com: Benoît Magimel, Jérémie Renier.
Sinopse: A fascinante e verdadeira história de Claude François, um ícone da música popular francesa, que teve uma visão de marketing para a autopromoção muito à frente de seu tempo. Um artista multifacetado, mas também mulherengo e extremamente vaidoso, Cloclo, como era conhecido, é o autor da canção “Comme D'habitude”, cuja versão em inglês, a clássica “My Way”, foi imortalizada na voz de Frank Sinatra.
CURIOSIDADES
O ator Jérémie Renier, que nunca tinha cantado ou dançado em sua vida, treinou durante cinco meses com diversos profissionais, a fim de melhor interpretar Claude François. O ator teve treinos para a voz, para o canto, para os conhecimentos musicais, para a dança e mesmo para os aspectos físicos, garantindo sua semelhança com o artista.
ASSISTA AO TRAILLER:


SESSÃO: 22h00
E agora, aonde vamos ?
(Et maintenant, on va où ?)
Direção: Nadine Labaki. Produção: 2011 – Comédia dramática – 1h50
Com: Layla Hakim, Nadine Labaki.
Sinopse: No caminho que leva ao cemitério do vilarejo, uma procissão de mulheres de preto que enfrentam o calor do sol, apertando contra elas fotos de seus esposos, seus pais ou seus filhos. Algumas usam véu, outras uma cruz, mas todas compartilham o mesmo luto, consequência de uma guerra funesta e inútil. Num país castigado pela guerra, essas mulheres de todas as religiões, unidas por uma amizade inalterável, estão prontas para qualquer estratagema para proteger suas famílias. Mas quando os eventos tomam um caminho trágico, até onde estarão dispostas a ir para evitar perder quem lhes resta?
CURIOSIDADES
O Festival Varilux desse ano vai contar com a presença de Khaled Mouzamar compositor do filme E agora, aonde vamos? e marido Nadine Labaki, diretora e atriz desse mesmo longa, que aliás, foi selecionado parta a mostra "Um Certo Olhar" do Festival de Cannes.
Audaciosa, Nadine Labaki faz um filme ao mesmo tempo grave e truculento, alterna ataques de raiva e gargalhadas, faz dialogar o imame e o padre do vilarejo. Fica o tempo todo na beira do precipício. Otimista, apesar de tudo, Nadine Labaki evita o excesso e faz um final surpreendente no qual a imaginação das mulheres parece não ter limite. Jean-Luc Wachthausen - Figaroscope

Nenhum comentário:

Postar um comentário