terça-feira, 28 de agosto de 2012

Reforma do PAM-Diamante é esqueleto caro do terceiro e quarto governos Roseana Sarney

    Fechado desde novembro de 2009 no terceiro mandato da governadora Roseana Sarney (PMDB) para reforma, o Hospital Pam Diamante se arrasta numa superposição de reformas.O hospital que já pertenceu ao INAMPS, INSS,  integra a rede rede estadual de saúde. Orçada em R$ 4,6 milhões, a primeira reforma, que tamém previa ampliação, sofreu aditivos inumeráveis e jamais foi concluída.
    Ao contrário das obras do Estádio Castelão e Ginásio Castelinho, que a governadora Roseana Sarney (PMDB) diz ter recebido com acúmulo de irregularidades, o PAM Diamante foi fechado por ela sob pretexto de ali intalar um ambulatório de medicina especializada. Durante parte do ano de 2010, uma unidade de triagem contra a Influenza A (gripe H1N1) foi montada na estrutura anexa ao hospital.
    No final do ano passado, dois anos após ser fechado, uma comitiva de parlamentares esteve no local para verificar o andamento das obras sob responsabilidade da Lastro Engenharia. A previsão era de que até o início deste ano seria concluída mais uma reforma sobre outra reforma. Sem prazo para ser entregue, a lentidão da obra sofre com ação da deterioração do tempo e vandalismo, justificando a elevação do custo final.

    Durante todo esse período o vice-governador Washignton Oliveira (PT), candidato a prefeito da capital nas eleições deste ano que tem denunciado o caos na saúde no município de São Luís, não esteve uma única vez no local para verificar o andamento de uma das maiores unidades de saúde do estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário